Loading...

sábado, 2 de julho de 2011

E se o homem está inocente?



O problema da justiça americana é o ficarem completamente histéricos com alguns tipos de crimes, nomeadamente os de índole sexual.

Repudio qualquer forma de sexo não consensual. Não me interessa nem o género nem a quantidade de pessoas envolvidas. Isso é com eles e apenas a eles diz respeito. Sendo maiores de idade e não existindo violência nem qualquer tipo de coação física ou psicológica, cada um sabe de si, e faz o que mais gosta.

E em relação a este capitulo, ponto final.

Em relação às violações, e a qualquer tipo de sexo não consentido, deve primeiro investigar-se profundamente antes de se arrastar o nome de qualquer pessoa na lama. 

Neste caso, e como se sabe, o senhor não é propriamente um puritano, e até tem fama de mulherengo. Desde que use saias, curtas ou compridas, e esteja para aí virada, vamos a isto que é uma pressa!

Mas o ele gostar de sexo não é crime. O ter tido vários casos durante a sua vida, também não. O ter feito propostas a algumas senhoras e estas terem recusado, também não faz dele um criminoso.

O problema é quando algumas pessoas, com menos escrúpulos, resolvem acusar alguém da prática de um crime que não cometeu.

Em boa verdade isso, para mim, nem é o pior.

Mau mesmo é o que leva as autoridades a reagir imediatamente, expondo os supostos criminosos à condenação na praça pública, e só depois investiguem. E se o que a suposta vítima afirma não tem consistência e não existem quaisquer provas factuais, testemunhais ou outras, que corroborem e sustentem a sua denúncia?

Neste tipo de casos é certo que a fronteira entre o consentido ou não é muito ténue. Por isso, manda o bom senso, e as “regras” jurídicas, que todos sejam inocentes até prova em contrário.

Vale mais libertar um culpado, que condenar um inocente.

Sempre achei todo este caso muito estranho. O homem estava num hotel em que cada noite custa os olhos da cara, tem dinheiro, está numa cidade onde a oferta é muita, variada e de elevadíssima qualidade… porque não recorreu a um dos inúmeros serviços de acompanhantes de luxo?!

Mesmo depois da notícias de hoje, continuo a não saber se o senhor é culpado ou inocente, mas uma coisa é certa, já saiu da liderança executiva do FMI, já me perece pouco provável que tenha qualquer hipótese nas próximas eleições presidenciais Francesas, já não me parece minimamente viável que ele volte a ser convidado para algum lugar de grande destaque.

Se está inocente, a vida deste homem, por calhordice de alguém e com a conivência do sistema, foi para o escalhabéu! 

2 comentários:

  1. Até pode... de facto... mas eu também posso ser o coelhinho da Páscoa... se me pintar de chocolate! :P

    ResponderEliminar
  2. Já pensaste no risco que corrias? Olha que há muitos gulosos… uma coelhinha de chocolate… hum, hum!

    ResponderEliminar