segunda-feira, 27 de junho de 2011

Bagagem…


Desde sempre, vamos acartando e acrescentando bagagem. Todos nós. Todos os dias.

Alguma vai-se extraviada nos aeroportos da vida. Quando mudamos de cidade, de estado civil, de profissão… quando os amigos nos esquecem.

Mas outra, a família, vai sempre crescendo, crescendo, crescendo, …

Iniciamos a viagem em low-cost. Primeiro por falta de “guito”, e em segundo porque ainda temos pouco espaço para a carga emocional.

Entre a bagagem e o destino… bora lá para o destino. Viajamos sempre com o mínimo. É a altura de novas e excitantes descobertas. Da procura. A primeira bagagem (progenitora) fica no lugar dela. Não foge nem se perde. Pelo menos se tudo correr normalmente.

Com os anos, a logística começa a ser um processo complexo. Em boa verdade, quase necessita de um gestor de cargas. Pais, irmãos, primos, mulher, sogros, cunhados, sobrinhos, filhos, netos, … e amigos.

Chiça… nessa altura só mesmo de semi-trailer.

Sem comentários:

Enviar um comentário